Historial

É preciso recuar no tempo, mais de 35 anos, para chegar às origens da Coobital e da Chasfa, duas das muitas cooperativas de habitação lançadas pela revolução de Abril.

Nem todas conseguiram resistir ao tempo e aos avanços da economia de mercado, mas aquelas que o fizeram, tentam manter o espírito e a vontade do início.

A mais antiga das duas, a Coobital (Cooperativa de Construção e Habitação Económica Farense CRL), nasce em 1975, fruto da vontade dos cooperadores em resolver a extrema necessidade de habitação para muitas famílias.

A Chasfa (Cooperativa de Construção e Habitação Económica de Faro CRL) que surge dois anos mais tarde, desde cedo se afirma também como uma referência no movimento das cooperativas de construção e habitação.

Por várias vezes cruzam-se os destinos até que um dia decidem unir forças. Atentas aos novos tempos, a Coobital e a Chasfa juntam esforços e vontades numa nova estrutura, mais robusta e que capitaliza a experiência de ambas.

Em 1992 ganha forma o grupo MCH Algarve, uma aposta que mais tarde se viria a tornar correcta.

Para trás ficam projectos que fizeram história e marcaram o crescimento seguro das duas cooperativas, procurando dar passos sólidos e duradouros. A procura desse trilho não foi fácil de seguir, sendo a Coobital disso um bom exemplo.

Criada em 1975, só viu crescer a sua 1ª obra 9 anos mais tarde, por dificuldades na aquisição de terrenos.

Em 1984 surge o primeiro de vários núcleos habitacionais promovidos pela Coobital, com 132 fogos, a Urbanização carreira de Tiro, hoje praça da Paz. É também aqui que a cooperativa constrói a sua sede social.

Dois anos depois surge a Urbanização de São Luís, com 90 Apartamentos, que viria a ser concluída em 1987.Em 1988 surge o núcleo habitacional António Sérgio com 82 fogos. Mais tarde, a Quinta de Santo António do Alto, dando lugar a 115 fogos.

Em 1992 começam as obras do Bom João, com o total de 158 apartamentos.Também a Chasfa surgiu da iniciativa e vontade de um grupo de amigos. Tal como a Coobital, cedo viria a encontrar dificuldades.

Foi na Carreira de Tiro em terrenos cedidos pela Câmara Municipal de Faro, que em 1980 foi lançada a primeira pedra de um total de 304 fogos.Logo a seguir surge Santo António do Alto com 189 fogos. Mais tarde o Bom João com 158 apartamentos.

Ciente de que a necessidade de casas não é exclusiva de faro, a Chasfa inicia empreendimentos em Vila Real de Santo António e também em Olhão.

Vinte e oito anos depois e mais de 1000 fogos construídos o balanço é claramente positivo.

Assim, quando se pensa em habitação cooperativa no Algarve, há um nome que se tornou incontornável: MCH Algarve, sinónimo de qualidade, bem-estar social, confiança e inovação. Um claro exemplo de que, por vezes, o todo pode ser muito mais do que apenas a soma das partes.

O grupo está a expandir-se, abarcando novos concelhos no Algarve e criando novos serviços e soluções habitacionais para os cooperadores das suas filiadas.

O grupo MCH-Algarve, é hoje uma realidade e uma organização com futuro, que tem vindo a criar certezas de uma cada vez maior qualidade do seu trabalho, projectando legitimamente grandes expectativas futuras. Apostam-se em projectos habitacionais de qualidade, com conceitos inovadores e elevado grau de exigência, no binómio qualidade e preço. Avança-se igualmente na busca de projectos habitacionais que privilegiem a sustentabilidade futura das cidades e o adequado reaproveitamento dos recursos que a natureza oferece, nomeadamente no que respeita à eficiência energética.

No quadro e contexto actual estão definidas as grandes prioridades desta organização e que passam pela certificação de qualidade do produto produzido e na garantia real aos cooperadores dessa mesma qualidade.

É com realismo e certeza que este Grupo sabe o que quer e para onde ir. Continuará a desenvolver-se e a crescer na área social e de apoio aos cooperadores em várias vertentes. O objectivo é só um: fazer-lhe sentir, demonstrando-o, que estamos consigo! Com milhares de fogos construídos e distribuídos ao longo destes 30 anos, o Grupo MCH Algarve soube afirmar-se no contexto nacional do mercado social da habitação, integrando hoje, a Chasfa e a Coobital, os órgãos dirigentes da federação Nacional das Cooperativas de Habitação (Fenache), bem como organismos internacionais do sector.